Criação do SAMES

O Herbário SAMES – sigla que corresponde à cidade e ao estado de localização (São Mateus – Espírito Santo), foi oficialmente registrado no Index Herbariorum em 2016, mas sua criação remonta a 2006, com a interiorização da Universidade Federal do Espírito Santo, por meio da criação de Centro Universitário Norte do Espírito Santo (CEUNES), na cidade São Mateus.  A coleção se iniciou a partir da necessidade de dar suporte às aulas de sistemática e organografia vegetal, ministradas para os cursos de Ciências Biológicas, Farmácia e Agronomia. As primeiras coletas botânicas foram feitas nos arredores daquela cidade, especialmente nos ambientes de restingas e, posteriormente, em fragmentos de floresta de tabuleiro. Paralelo às coletas botânicas para uso didático com material fresco, amostras eram separadas, secas e também utilizadas em aulas práticas de preparação de material botânico para deposito em herbário. Consequentemente, passou-se a acumular um vasto material representativo da flora local, então guardado de forma improvisada em uma pequena sala no Pólo Universitário, em São Mateus, onde funcionava parte das instalações provisórias do CEUNES.

Mesmo neste período onde tudo se iniciava, a colaboração de pesquisadores de outras isntituições foi fundamental para o estabelecimento de bases sólidas para acriação do SAMES.

                     

                     

 Espaço improvisado no Pólo Universitário (São Mateus, ES), onde abrigou o primórdio do herbário SAMES – a) Visita da Profa. Ariane Luna Peixoto para auxiliar na identificação de material Botânico coletado por Augusto Giaretta, então aluno de Ciências Biologia do CEUNES – abril de 2007. b) visita da Profa. Dorothy Sue Dunn de Araujo (terceira da esquerda para direita), durante período de coletas botânicas com equipe do herbário em áreas de restingas do norte do Espírito Santo.

 

Em 2007, estudantes da primeira turma de Ciências Biológicas do CEUNES que realizavam estágio em botânica ou ecologia vegetal foram responsáveis pelo aumento exponencial de exsicadas, devido às coletas realizadas por eles em fragmentos florestais da região de São Mateus. Para guardar o acervo, foram doados 4 armários de aço pelo herbário VIES (primeiro herbário da UFES, localizado na cidade de Vitória) e 40 latas de estanho, pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro . Esta última instituição, posteriormente, doou mais 10 armários de aço, o que possibilitou os avanços em coletas botânicas em outras áreas da região norte do Espirito Santo. Inventários em restingas de outros municípios, como Conceição da Barra, Jaguaré e Linhares foram fundamentais para a compreensão do status de conservação e diversidade desse tipo de ambiente no Espirito Santo (Giaretta et al., 2015; Monteiro et al., 2014). Unidades de Conservação passaram a ter sua flora investigada de forma sistemática, o que contribuiu, posteriormente, para a elaboração de seus planos de manejo. No mesmo ano, foram ganhos editais de financiamento de pesquisa o que possibilitou a execução de projetos envolvendo a coleta de material botânico de forma sistematizada.

        

                                                              

                                                               

                                                               Figura 2.   Rotina de trabalho no SAMES

Em 2010, com a construção das instalações definitivas do CEUNES e, por consequência, o prédio do curso de Pós-Graduação em Biodiversidade Tropical, a coleção foi transferida para as novas instalações deste prédio. Ainda naquele ano, a coleção passou a ser uma extensão do herbário VIES, com a denominação de Herbário VIES - Setorial São Mateus. Desta forma, todo o material coletado no norte do Espirito Santo passou a ter número de registro no VIES, sendo encaminhado para aquele herbário todo o material coletado, ficando em São Mateus apenas uma duplicata de referência. Entretanto, este sistema mostrou-se inadequado, devido às dificuldades com trânsito de material entre o norte do Estado e a capital, o fluxo de informações entre banco de dados e a dificuldade na identificação do material botânico. Em busca de um sistema mais adequado, em 2016 optou-se pela criação de um novo herbário, sendo então, criado o SAMES .

                                                                   

                                                    

 Novas instalações do Herbário SAMES, no campus da UFES/CEUNES.  a) sala de banco de dados, b) montagem de material

 

 

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Rodovia Governador Mário Covas, Km 60 - Bairro Litorâneo, São Mateus - ES | CEP 29932-540